ARQUIVO DE ARTIGOS

Lìngua: PORTUGUÊS

Palavras vivas da história

A força das idéias

J.M.Keynes,
The General Theory of Employment,
Interest and Money

Macmillan, London 1936 

Será esperança visionária a realização destas idéias? Elas têm raízes insuficientes nas causas que governam a evolução da sociedade política? Os ganhos que essas idéias desperdiçam são mais fortes e mais óbvios do que aqueles que os lucros promoverão?... 

Se as idéias forem corretas – hipóteses sobre as quais um autor deve se basear ao escrever –, considero que seria errado verificar sua eficácia baseando-se apenas no tempo presente. 

De fato as idéias dos economistas e dos filósofos políticos, tanto as corretas quanto as incorretas, são mais potentes do que comumente são consideradas. Na realidade, o mundo é governado por poucas coisas além das idéias.
Os homens práticos, que se consideram completamente isentos de influências intelectuais são normalmente escravos de algum economista defunto... Estou convicto de que o poder dos maus interesses é muito exagerado em relação ao desenvolvimento progressivo das idéias.

Não de imediato, mas dentro de certo tempo, uma vez que no campo da filosofia econômica e política não existem muitos sobre os quais as novas teorias se tornam influentes antes que tenham vinte e cinco ou trinta anos. De modo que as idéias que governantes e homens políticos, e até agitadores, aplicam aos acontecimentos correntes não é provável que sejam as mais recentes.
Porém mais cedo ou mais tarde são as idéias, não os maus interesses, por bem ou por mau, que são perigosas. 

Image

ARQUIVO DE ARTIGOS

Lìngua: PORTUGUÊS

LIVROS, ARTIGOS & MEIOS

Lìngua: PORTUGUÊS

Filtrar por Categorias

© 2008 - 2021 Economia di Comunione (EdC) - Movimento dei Focolari
creative commons Questo/a opera è pubblicato sotto una Licenza Creative Commons . Progetto grafico: Marco Riccardi - edc@marcoriccardi.it